06/09/2010

A presença de Deus na familia

Alterar tamanho

PRESENÇA DE JESUS NA FAMILIA

 

“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalha os que a edificam”. Salmos 127:1.

 

Uma pesquisa realizada nos últimos anos mostra que existe uma relação positiva entre religião, felicidade no matrimônio e felicidade familiar.

O alto grau de orientação religiosa leva uma família a um compromisso com um novo estilo de vida espiritual, que nada mais é do que, a conscientização da presença de Deus, que fornece à família um sentido de propósito, de apoio e de fortalecimento.

Nos lares onde se procura um relacionamento maior com Deus há mais paciencia de uns para com os outros, seus membros se tornam mais perdoadores, mais dispostos a vencerem os sentimentos maus, mais positivos e mais apoiadores em seus relacionamentos. O segredo de se promover uma boa vida em família é simplesmente “promover o relacionamento da família com Jesus Cristo”.

 

I – CULTIVANDO A PRESENÇA DE JESUS

Ter fé em Jesus Cristo consiste num relacionamento com Jesus. Mas Ele próprio não age como uma pessoa comum. Ele não anda por aí, para que você possa vê-Lo. Não conversa com você, não lhe escreve e nem telefona. Ele é uma pessoa, mas, não é uma pessoa comum. Se você e sua família não O buscarem, não poderão se relacionar com Ele.

A fé não é uma fortaleza onde nos refugiamos para ficar acima dos conflitos e tribulações da vida.

É antes uma arma com a qual enfrentamos todas as batalhas e embates que se nos apresentam.

A fé não nos coloca numa posição privilegiada em que podemos dispensar a experiência, e de onde contemplamos a realidade de Deus, numa espécie de esplendor à parte. A fé não é edificada pela argumentação, e, sim, pelos encontros com Jesus.

Se o casal deseja experimentar total unidade no casamento, haverá de unir-se no propósito de ter encontros com Deus. Sem unidade espiritual, jamais será possível a total unidade em compreensão, aceitação um do outro, comunicação aberta e sincera sobre as diferenças e problemas da vida a dois, bem como um diálogo franco sobre sexo.

A unidade espiritual proporciona um poder além do que os casais comuns conhecem em seu casamento. Portanto, você e seu cônjuge necessitam entender a importância de adorarem a Deus.

O que significa realmente adorar a Deus com seu cônjuge? Será que se trata da assistência regular do marido e da esposa aos serviços religiosos da igreja? Isso ajudaria, porém, a verdadeira adoração começa dentro da quietude do indivíduo.

 

Cinco Importantes Ingredientes da Adoração:

 

Devoção Pessoal – É impossível viver uma vida espiritual sadia e coerente quando não existe um tempo separado para a devoção pessoal. O tempo que você dedicar ao relacionamento com Deus, com toda a certeza, muito o ajudará no fortalecimento do vínculo conjugal e familiar.

Oração – É importante que você desenvolva o hábito de uma vida de oração particular e pessoal acompanhada do estudo da Bíblia e devoção. Mas, também é importante, que diariamente o casal tenha o hábito de juntos orarem. O casamento pode ser completamente transformado quando, juntos, marido e mulher buscam ao Senhor regularmente em oração.

Culto Familiar – Nesta época de tanta agitação, quase não se houve mais falar de pais que reúnem em torno de si seus filhos, para cantarem, lerem uma história, ler um verso da Bíblia e juntos orarem. Perdeu-se de vista a importância da oração em família, momento este em que a família pára, e se reúne para adorar a Deus.

Sugestão para o culto familiar:

- Ter um horário definido para a oração matutino e vespertino. O mesmo deve ser realizado no local mais apropriado e mais aconchegante do lar.

- A música deve fazer parte da oração. As crianças gostam de cantar. Se os filhos estão presentes, de preferência, escolham musicas que eles gostem de cantar.

- Ensine sem pregar. Tudo o que tem a fazer é contar aos filhos uma história com um fundo moral.

- Dê oportunidade para os agradecimentos e também pedidos.

- Lembre-se de que em cada oração deve incluir alguma atividade da qual a criança possa participar.

- Tanto as crianças com os adultos aprendem com a prática.

- As crianças gostam de ilustrações. Por isso, gravuras, são de grande importância, para que a oração seja atraente, interessante e dinâmico.

- Faça uma oração objetiva, variada e informal. Lembre-se que o período de atenção das crianças é curto, por isso, a oração não deve ser longa.

Freqüência Sistemática à Igreja – Quase todos os casamentos começaram e começam diante de um altar, em uma igreja. Muitos casamentos fracassam porque o casal se esquece de voltar à igreja, para continuar recebendo as bênçãos de Deus em seu casamento, em seu lar e em sua família. Participar regularmente das atividades de uma igreja, é extremamente importante para o fortalecimento e união do casal, bem como de toda família. Quando Jesus Cristo está no coração, é introduzido na família, pai e mãe sentem a importância de viver em harmonia com o Espírito Santo.

 

Um cineasta britânico resolveu fazer um filme sobre a malfadada viagem inicial do navio  Titânic, em 1912. O barco chocou-se com iceberg no Atlântico Norte, e afundou, roubando a vida de 1.200 pessoas. Durante o dramático desenrolar da história filmada, ouve-se alguém perguntar várias vezes: “Quem é que está no comando disto aqui?” E realmente, esta era a pergunta crucial: Quem pode nos orientar neste momento de desastre iminente?

A história do Titânic ilustra bem a situação da família de hoje. Ela é como um barco que sofreu uma terrível avaria. Nós, também, quase desejamos perguntar: “Quem é que está no comando disto aqui?” Quem é que pode salvar o casamento e a família da desgraça que nos ameaça?

O Titânic afundou. O capitão, o homem que estava no comando, nada pôde fazer para salvá-lo. Ele dispunha dos melhores recursos que a inteligência, a habilidade e a tecnologia podiam produzir, mas estas coisas não foram capazes de impedir o desastre.

A Bíblia fala-nos de um outro barco que estava desgovernado, em meio a um mar turbulento e adverso. A capacidade e poder do homem tinham feito tudo o que podiam, mas nada adiantara.

“Ondas enormes começaram a rebentar dentro do barco, até que ele estava quase cheio d’água e preste a afundar”. Marcos 4, 37. Em desespero os passageiros daquele barco se voltaram para um homem que, estranhamente, estava dormindo a sono solto, no fundo do barco. Este era Jesus. Apavorados, correram para acordá-Lo: “Mestre, nem te preocupa que estamos todos prestes a afogarmos? Então Ele repreendeu o vento, e disse ao mar: ‘Aquiete-se!’ E o vento parou e houve grande calma. E Ele então perguntou-lhes: ‘Por que vocês estavam com tanto medo? Vocês ainda não têm confiança em Mim?” Marcos 4, 38-40. Aquela embarcação não afundou, pois nela viajava um Homem que tinha autoridade sobre as próprias forças que a ameaçavam. Se o mesmo Homem – Cristo Jesus – estiver presente em nosso lar, conduzindo a família, com toda a certeza, essa família, não experimentará o naufrágio espiritual.

Quando Jesus assume o comando, os poderes que ameaçam fazer submergir o lar cristão recuarão e baterão em retirada. Se, porém, a família deixar Jesus dormindo lá no fundo do bote, é bem provável que a mesma, seja varrida do barco para o alto mar pela força das ondas.

A família tem diante de si duas alternativas: ou dá a Jesus o direito de estar presente no lar, conduzindo e dirigindo todas as coisas, ou continua se esforçando ao máximo, remando com suas próprias forças, enquanto as ondas dos problemas e dificuldades que a rodeiam, se elevam cada vez mais.

 

Qual delas você escolherá ?




No responses yet

Faça seu comentário

Enviar para um amigo





Enviar para um amigo